Chá de Boldo

Postado por

“Eu vos dou um novo mandamento: amai-vos uns aos outros. Como eu vos amei, assim também vós deveis amar-vos uns aos outros. Nisto todos conhecerão que sois meus discípulos, se tiverdes amor uns aos outros”

(Jo 13, 34-35)

No Evangelho deste final de semana, Jesus nos diz como os seus discípulos serão conhecidos. São João da Cruz diz que no final de tudo, o nosso julgamento final será avaliado por quanto amamos e por quanto deixamos de amar. Ser cristão é sinônimo de amar. Amar é o verbo por excelência de todos nós cristão. Quem não ama, não conhece a Deus, pois afinal Deus é amor, como diz na primeira carta de São João 1, 48. Mas o que é amar?

 Amar, no sentido católico não é um sentimento! Amar é querer amar. Gostar de alguém ou não gostar de alguém é um sentimento. Deste modo, quando Jesus disse para que amássemos uns aos outros, é independente se gostamos ou não de alguém. Portanto, eu posso não gostar de alguém, mas eu posso amar! E amar aqui é: fazer o bem, não desejar o mal, corrigir quando necessário, não falar mal e saber respeitar. Amar é um novo sentido para a nossa vida. Amar é uma opção para a nossa vida! Amar às vezes é igual a um chá de boldo. É ruim no começo, mas seu resultado é sempre bom. Amar no começo as vezes é difícil, mas depois verá que é mais fácil amar do que odiar. Para tanto é necessário fazer exercícios de amor.

 E que tal começarmos esse exercício amando-nos a nós mesmos?!. Somente podemos amar alguém quando amamos a nós mesmos. Somente poderemos respeitar alguém quando nos respeitamos a nós mesmos. O exercício do amor é algo que dura a vida inteira. A cada gesto amor manifestado, ficamos mais perto do Amor maior que é o que vem de Deus. Manifestemos gestos de amor sempre que possível para que a nossa vida seja uma eterna gratidão a todo amor recebido de Deus. Todas as vezes que colocamos o exercício do amor em prática, na verdade, estamos retribuindo a Deus todo o amor que Ele tem por nós. Por isso amar o outro é amar a Deus. Respeitar o outro é respeitar a Deus.

Paz e Bem! 

Frei Jhones

Deixe uma resposta