Quem disse que é fácil?

Postado por

“Mas, se não vos converterdes, ireis morrer todos do mesmo modo”

(Lc 13,5)

Neste final de semana celebramos o 3º Domingo do tempo da Quaresma. Jesus é muito forte no versículo que iremos meditar. O que seria conversão? De grosso modo: seria mudança de vida, mudança de rota ou troca de caminho. Pelo Evangelho que ouvimos, podemos chegar à seguinte conclusão: se não mudarmos a nossa rota, iremos morrer! Mas se mudarmos, nós ganharemos a vida! Quem deseja o céu, não morre! Somente passa pela morte da mesma forma que Maria, que não morreu, mas somente passou pela morte – Dogma da Assunção. Por isso, o apelo de Jesus é que nos mexamos e saiamos das famosas “zonas de conforto”.

Quem deseja o bem e quer o céu, tem que se mexer e isso não é uma tarefa fácil! Estamos tão acostumados com o pecado e com o erro que, por vezes, não identificamos o grande mal que ele causa em nossa vida. O pecado nos leva à morte. Por isso, Jesus é muito claro na mensagem de hoje: se não mudar, irá morrer do mesmo jeito. Olha a mudança na vida de Francisco: “O que era amargo se converteu em doçura”.Mudar, converter, trocar de caminho nem sempre é fácil e nem sempre as pessoas que convivem conosco saberão entender as nossas decisões. Mas irmãos, quem ouve opinião dos outros e deixa de escutar a Deus, cai na armadilha da morte e esquece-se da vida eterna. As pessoas que atrapalham a nossa caminhada para o céu são aquelas que deixam a nossa caminhada mais santa.

Quem disse que é fácil?

Aquilo que é fácil, nos leva à frouxidão, mas aquilo que foi conquistado com suor e luta, nos dá força e vigor. Irmãos, lutemos pois o céu é para quem luta. Sejamos homens e mulheres fortes em Deus, pois tudo o que é leve demais, nos torna leve. E tudo o que é leve, o vento leva. Sejamos pedras vivas de Deus, a rocha firme em Cristo. Cravemos a nossa morada na pedra, não na areia. Se assim fizermos, não morremos, mas passaremos pela morte e iremos morar no céu, junto com todos os santos. Paz e Bem!

Um abraço frateno.

Frei Jhones Lucas Martins

Deixe uma resposta