As luzes no túnel

Postado por

“Enquanto rezava, seu rosto mudou de aparência e sua roupa ficou muito branca e brilhante”

(Lc 9 ,29)

No segundo domingo da Quaresma, celebramos a Transfiguração do Senhor Jesus no Monte Tabor. A Transfiguração de Jesus mostra o esplendor da sua glória. Esse pequeno momento em que Ele se mostra aos discípulos é uma faísca da eternidade. Como na quaresma somos convidados a refletir sobre a nossa miséria, percebemos na transfiguração como será a nossa vida na eternidade.

Jesus se transfigura, pois quer mostrar a todos nós que se nós permanecermos fiéis a Ele também iremos nos transfigurar, ou seja, participaremos da glória com Deus nos céus. Imaginemos irmãos um túnel, igual a esses que encontramos nas estradas, quando descemos ou subimos as serras. Normalmente esse túnel é escuro e tem algumas luzes que fazem com que ilumine o local por onde estamos percorrendo. Porém, se um túnel é muito longo ficamos até um pouco agoniados querendo que o túnel  acabe logo. Quando o túnel acaba, ficamos aliviados e podemos com tranquilidade continuar a estrada. Essa comparação nos serve para dizer que na nossa vida, estamos nesse túnel.

Esse túnel é a Igreja que nos leva ao céu! Na Igreja temos Jesus Cristo e seus sacramentos que são as luzes dentro do túnel. Se nós já nos alegramos com as luzes no túnel, imaginemos o céu que é pura luz. Deste modo, a Igreja nos aponta para o céu! A Igreja nos aponta como será a nossa transfiguração. Cada missa, cada celebração de sacramento é uma antecipação da transfiguração do céu, onde seremos um com Deus eternamente.

A Quaresma nos serve para percebermos que aqui na terra temos alegrias passageiras e no céu temos a eternidade. São Francisco a todo o momento nos apontava para essa realidade de transfiguração.

São Francisco era um homem que participava do céu aqui na terra, já tinha começado a sua transfiguração aqui no meio de nós. Busquemos irmãos viver o céu aqui na terra e se assim o fizermos, certamente acharemos uma grande alegria no final de nossa vida, como Francisco achou ao ponto de dizer: “Salve irmã morte corporal da qual homem algum pode fugir” Paz e Bem! 

Frei Jhones Lucas Martins

Deixe uma resposta