Até breve! Abraços da “Thatá do Conexão”

A edição do “Em Fraternidade” deste mês de dezembro tem a alegria de receber a idealizadora do Conexão Fraterna: Thaís de Oliveira, a famosa Thaís do Conexão. Natural de Duque de Caxias (RJ), tem 26 anos e se reconhece como franciscana desde 2013, quando conheceu mais profundamente o carisma. Graduada em Jornalismo, tem grande experiência em produção de conteúdo para a web, críticas cinematográficas, e gerenciamento de redes sociais. Até aqui nenhuma novidade, não é mesmo?

No Conexão, desde 2018, quando o projeto nasceu, além de ser redatora, apresentadora e gerenciar todas as redes sociais, Thaís coordenou este projeto de evangelização com muito entusiasmo, garra, coragem, altruísmo, simplicidade, maestria, amor, autenticidade, enfim…, com todas as virtudes cavalheirescas do jovem de Assis: São Francisco.

Ao ser convidada para ocupar seu lugar aqui no “Em Fraternidade”, com bom humor, disse: “Bom, eu nunca imaginei que eu fosse participar um dia como convidada desta coluna que existe desde a criação do blog, mas se é para fazer isso, que seja da maneira mais transparente possível”.

Em seu primeiro post no Conexão, Thaís abordou o tema da Igreja em saída, que para ela foi um dos seus pontos de partida. “Quando vivemos uma vida de fé, todos os nossos dias passam a ser missionários”, revelou. “Que o nosso ponto de partida seja de sonhos cada vez mais fraternos e menos individualistas e que nossa prioridade seja uma vida de amor e de compaixão”, acrescentou.

“No início, eu confesso que eu imaginava só um blog pequeno, onde eu pudesse escrever algumas coisas sobre como a espiritualidade aparecia para mim e abrir espaço para que outros jovens também pudessem se expressar. Mas, ele cresceu. Cresceu com o amor de Deus que emana de todas as pessoas que vêm aqui diariamente ler, ouvir, ver e expressar a vivência franciscana”, ressaltou.

Neste texto, com muita sinceridade e transparência, Thaís fala sobre uma nova etapa de sua vida.

LEIA NA ÍNTEGRA

Fotógrafa da CFJ de Curitibanos (SC) em 2019

Olá, eu me chamo Thaís de Oliveira, sou jornalista, franciscana, periférica, feminista, tenho 26 anos e há dois anos e meio tive a ideia de iniciar um projeto que almejava levar a espiritualidade franciscana para os jovens, em um local bem comum para eles: a internet.

Provavelmente você já me viu em algum story do Conexão ou leu algum texto meu aqui mesmo no nosso blog, ou já ouviu a minha voz em um dos nossos podcasts, mas eu resolvi começar este texto me apresentando porque acredito que esta é a forma mais sincera de iniciar esta conversa, como quem está aqui pela primeira vez.

Antes de tudo, quero agradecer ao meu amigo e grande parceiro Frei Augusto Luiz Gabriel por destinar este espaço para que eu pudesse me expressar, foi uma surpresa, eu confesso, mas estou grata.

Thaís durante o Alverne em Tanguá (RJ)

Quando eu era pequena eu já tinha muita certeza de que iria ser comunicadora e na época do vestibular eu não tinha nenhuma segunda opção. “Vou fazer jornalismo”, eu dizia e batia o martelo imaginário que definia toda a minha vida em um milésimo de pensamento. Isso nunca foi uma dúvida e também não é a agora. E esta é basicamente a minha história com a comunicação. Simples e clara.

Já com a espiritualidade franciscana foi um pouco mais complicado, ela só apareceu para mim em 2013, como uma lâmpada que acendeu a minha vida e me disse “não precisa de martelo imaginário, a vida pode ser fluida”. Isso me foi tão forte que eu passei a viver esta espiritualidade intensamente, todos os dias; ora mais calma e escondida no íntimo do meu coração, ora expoente, latente e às caras de quem quisesse ver. E então eu precisava expressar, eu precisava mostrar para todo mundo que Deus é esse, que Francisco é esse que arde, que provoca, que nutre, que inquieta.

Thaís e a fraternidade do Regional Sudeste 2 da JUFRA

Foi aí que o Conexão Fraterna nasceu. Da necessidade pulsante de expor essa espiritualidade em um momento em que eu sentia a juventude carente de um espaço só dela. Com a ajuda de muitas pessoas, com praticamente um mês de planejamento, esse projeto ganhou forma. No início, eu confesso que eu imaginava só um blog pequeno, onde eu pudesse escrever algumas coisas sobre como a espiritualidade aparecia para mim e abrir espaço para que outros jovens também pudessem se expressar. Mas, ele cresceu. Cresceu com o amor de Deus que emana de todas as pessoas que vêm aqui diariamente ler, ouvir, ver e expressar a vivência franciscana.

Bom, eu nunca imaginei que eu fosse participar um dia como convidada desta coluna que existe desde a criação do blog, mas se é para fazer isso, que seja da maneira mais transparente possível. A questão é que chegou um momento em que a minha vida me levou para outras situações em que eu não imaginava estar, e isso me causou um enorme sofrimento porque, ao mesmo tempo, em que eu amo estar aqui, eu sentia a necessidade de me dedicar a outras coisas. Então, com todo o amor que todos os leitores, seguidores e amigos do blog me deram é que vim pessoalmente dizer que a partir de 2021, já não integrarei a equipe do Conexão Fraterna.

Thaís ao lado de Bruna SIlva, mãe do Marcos Vinícius, durante a MFJ Rio 2019

E como tudo o que sempre fiz, precisava ser sincera também aqui. Este pensamento não é um impulso, ele foi cuidadosamente sendo decifrado em mim e hoje, é uma necessidade. Alguns motivos me levaram a postergar a decisão de me distanciar do projeto, o martelo imaginário já não existe na minha cabeça para me ajudar com isso. É um tempo que preciso ter, que pode não durar muito ou pode, ainda não tenho a resposta para isso. Mas, alguns desses motivos, eu gostaria de dizer aqui.

No alto da minha prepotência, eu pensava que o Conexão não poderia existir sem mim, já que eu havia o criado; e com reflexão, aceitação e muitas (mas muitas mesmo) sessões de análise, cheguei a feliz conclusão de que este projeto tem vida própria. Afinal, ele não foi criado para mim, ele foi criado para Deus.

Em 2020 Thaís foi voluntária do SEFRAS

Eu também tinha muito medo de decepcionar a nossa equipe e a vocês, isso realmente me machucou. Mas, vocês sabem, a equipe do Conexão Fraterna é uma família unida e tão cheia de amor que até agora, eles me acolhem com verdadeira fraternidade. Eu realmente peço que vocês olhem para essa decisão com a mesma compaixão, afinal, na prática, o conteúdo pode ficar até melhor! Alerta Spoiler: Vem coisa MUITA boa em 2021 para vocês.

TEM IDEIAS DE PAUTAS? CLIQUE AQUI E BOTA A BOCA NO TROMBONE!

Bom, não há muito mais o que dizer a não ser que eu continuo vivendo essa espiritualidade, eu amo tudo o que ela me proporcionou, tudo o que ela me tornou e esta é uma das grandes certezas da minha vida. Eu só posso agradecer ao Altíssimo por ter me permitido viver até aqui tudo o isso, e se errei, peço humildemente perdão a todos. A partir de janeiro de 2021 a Thatá do Conexão ficará rezando por este projeto, torcendo de longe por todos aqueles que trabalham nele direta e indiretamente e tenho certeza que Deus o fará ainda melhor.

Muito, muito, muito obrigada.

Abraço fraterno, Thatá

Parte da equipe do Conexão Fraterna.

Um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s